Era uma vez algumas crianças...

O dia das crianças está chegando e, como é uma data cheia de lembranças, decidi deixar um pouco a decoração de lado e reviver o lado criança que existe dentro de nós. Afinal, quem nunca ganhou um presente neste dia – que é um dos mais esperados no ano?


Em uma rápida pesquisa aqui na redação, fiz duas perguntas aos meus colegas: qual era o brinquedo favorito e qual brinquedo sempre sonhou ter mas nunca conseguiu?


As perguntas são simples, sem nenhum mistério. Agora, as respostas, todas carregadas de emoção, me surpreenderam. É incrível ver que, mesmo por alguns momentos, as pessoas deixaram suas rotinas corridas e relembraram momentos da infância que estavam na memória, deixando aflorar aquela pessoa pequenina que existe dentro de cada um.


Os brinquedos prediletos vão desde os famosos ursinhos de pelúcia até os clássicos bonequinhos inspirados em séries de televisão. Prepare-se, pois, a partir de agora, você lerá todos os relatos.


Adriana Fricelli, repórter da revista Casa & Decoração, disse que seu brinquedo favorito era um ursinho de pelúcia. “O brinquedo que eu mais gostava era um ursinho carinhoso de pelúcia, azul, de olho baixo, um tanto encardido e surrado. Ai, fiquei com saudade do bichinho, me acompanhou por muuuuitos anos”, disse a nostálgica Adriana.


Renacha Batista, redatora do Portal, adorava uma pequena bicicleta. “O que eu mais gostava era a minha bicicletinha Caloi Ceci. Eu era até conhecida no bairro por 'menina da bicicleta'. Eu rodava com ela pra todo lado e até apostava corridas. Infância boa e saudável no interior do Brasil”, disse Renacha, que veio do interior do Tocantins para viver entre nós, aqui, na megalópole São Paulo.
Romulo Osthues, subeditor da revista Casa & Decoração e do Portal Decoração, tinha como objetivo criar cenários para seus queridos bonequinhos. “Adorava brincar com os meus bonecos por toda a casa. O quintal era o território de exploração da floresta; as palmeiras de minha mãe eram as 'árvores altas' onde os bonecos construíam suas casas no topo; as plantas chamadas 'alfinete' e 'renda' davam o alimento para eles”, ele conta. Sábado e domingo eram os dias de folga dos personagens e eles iam todos para um clube improvisado na lavandeira. “A área de serviço era o clube onde eles passavam os fins de semana, descendo em tobogãs – uma calha que sobrou de uma das obras no telhado de casa, caindo sobre a pia onde minha mãe lavava as roupas – , mergulhando em águas cheias de espuma, resultado das caixas de sabão em pó que eu jogava dentro da água”, completou nosso subeditor, em meio a risos.
Daniel Yoshizawa, estagiário de arte do Portal Decoração, sempre foi fã das trilogias do cinema. Além disso, desenhos de super-heróis atraem a sua atenção até hoje. “Eu gostava do meu Delorean do 'De Volta para o Futuro - Parte II', o meu Batmóvel e a minha coleção de bonecos da Liga da Justiça com o lanterna verde - Hal Jordan”, disse.

Pauline Meiwald, subeditora do núcleo de segmentadas, não conseguiu escolher um brinquedo favorito. “Só um é bem difícil, heim?! Fico em dúvida entre minha única Barbie, a Malibu e a minha lousa, adorava brincar de professora ensinando minhas bonecas”, disse. Brincadeiras também marcaram algumas pessoas aqui na redação. É o caso da estagiária da revista, Gabrielle Victoriano. “Brincar de escritório e fingir ser professora era a maior curtição. Eu tinha vários aparatos de escritórios e duas lousas – uma de giz e uma de caneta. No armário, eu tinha uma caixa de giz colorido e uma de giz branco, cheques de brinquedo, carimbo, cartão... tudo. Adorava passar a tarde brincando disso”. Contou também que, desde pequena, já parecia ser uma menina bem responsável.
Cida Barros, editora do núcleo de revistas para bebês e crianças, poderia ter seguido um caminho diferente e hoje ser uma grande estilista. “O meu brinquedo predileto era a minha Suzie. Eu confeccionava milhares de roupas pra ela, com retalhos de tecidos, agulha e linha, todas horríveis, mas eu não perdia a esperança de acertar”, contou.
Os sonhos fizeram parte da infância de todos também. A imaginação quando somos crianças vai muito longe, e você poderá conferir nas histórias que vem a seguir. Mas uma coisa é certa, com alguns dos relatos, entendi o real significado daquele velho ditado que diz “sonhar não custa nada”.


Você pode achar que os brinquedos eram os objetos mais desejados, e na verdade, era o sonho de consumo da maioria, mas existe uma pessoa que gostava de um outro tipo de diversão.




Nossa editora, Naélia Forato, adorava brincadeiras um tanto quanto perigosas. “Adorava cutucar a caixa de mel que ficava no quintal pra depois correr das abelhas”, contou nossa aventureira, que completou: “gostava de assumir a direção da charrete do Seo Raimundo, que passava em casa pra nos levar à escolinha, pois me sentia a dona do cavalo. Sempre quis ter um, mas nunca tive”, disse ela, revelando o seu sonho de criança.



Já o redator Leonardo Valle, se não fosse jornalista, poderia ser médico. “Sempre quis ter um ET que você podia abrir e tirar os órgãos. O material lembrava uma gelatina. Ele devia ser bem caro, porque eu e minha irmã gêmea chegamos a propor trocar nossos dois presentes por ele, mas na época não rolou”, contou. O que nos deixa bem tranquilos, porque já constatamos que ele escreve muito bem – você pode conferir na revista Casa & Decoração – agora, medicina... não sei não!

Outra que faz parte do nosso time é a redatora Patrícia Galleto, que desejava a casa da Barbie, sonho de toda menina. “Eu sempre quis ter a casa da Barbie, mas era muito cara. Assim como suas roupinhas. Minha mãe, como não podia comprar, passou a costurar roupinhas para a minha Barbie - inclusive um vestido de casamento. O Ken eu também nunca tive”, disse Patrícia.
Matheus Steinmeier, estagiário de Casa & Decoração, disse que os bonequinhos dos Cavaleiros do Zodíaco eram o seu sonho de consumo. “O que nunca realizei foi ganhar a coleção completa das figuras de ação Cavaleiros do Zodíaco, com todos os cavaleiros e armaduras. Eu lembro que tinha alguns... e a maioria era 'piratex'”, contou ele, que ainda revelou: “o mais legal é que a minha mente infantil fantasiava que um dia eu iria ao programa 'As Portas da Esperança' e ganharia todos os bonequinhos, graças ao Homem do Baú”, disse.
Tiago Muniz, estagiário do Portal Decoração, fã de quadrinhos, tinha como brinquedo favorito a sua coleção de bonequinhos, mas até hoje o que ele deseja mesmo é uma coleção do Lego. “Eu nunca tive e até hoje quero ter aqueles Legos caríssimos que representavam o Indiana Jones ou Guerra nas Estrelas. Um amigo do meu irmão mais novo os tinha e eu ficava lá, brincando junto com eles só pra poder mexer nas pecinhas”, contou.
Vanessa Moura, redatora da revista Casa & Ambiente Bebê, desejava uma piscina de plástico. “O brinquedo que sempre quis e nunca ganhei era uma piscina. Eu morava na praia, mas vivia sonhando com a bendita piscina, aquela de plástico mesmo. Meu pai me prometia, acho que era para eu parar de encher o saco dele, pois jamais caberia no pequeno apartamento onde morávamos”, contou. Vanessa, piscina dentro de um apartamento não dá, né?!

Frustrações também fizeram parte da infância de todos, mas algumas podem se tornar marcantes, sendo impossível de esquecer.


Bárbara Souza, estagiária da revista Decoração & Estilo Festas, não consegue apagar da memória o dia em que foi enganada. “Nunca vou esquecer de um dia trágico da minha infância. Meus pais chegaram do shopping com um tio e, quando abriram o porta-malas, me deparei com o meu maior sonho de consumo da época, a casa da Barbie. Me senti como se tivesse ganhado na loteria, mas a decepção veio em seguida: era para minha prima. Acho que ainda não superei isso direito”, disse ela, não contendo as risadas.


Alguns sonhos dessas crianças foram realizados, outros, talvez ainda não. Mas lembre-se: nunca é tarde para se realizar desejos, mesmo que sejam meros brinquedos. A satisfação pessoal é um dos princípios para a felicidade.

Hoje, os pequeninos cresceram e, atualmente, são responsáveis por levar até você, nosso leitor, dicas e sugestões para a realização de muitos sonhos espalhados pelo Brasil e pelo mundo.

Sou Thales Bormann, estagiário do Portal Decoração. Quando criança, adorava brincar com meus carrinhos de ferro, tinha uma coleção deles. Mas o que sempre quis, mesmo, era um Avião de controle remoto, para dar asas à minha imaginação. Me escreva contando qual era seu brinquedo favorito e aquele que era o seu sonho de consumo. Vou adorar conhecer um pouco da história de infância de quem nos segue dia a dia. Meu email é portaldecoracao1@editoraonline.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário